A importância dos pais na vida (esportiva) dos filhos

by englobe
1 ano ago
1246 Views
Compartilhe

A experiência da criança e do adolescente na prática de um esporte, em nosso caso a patinação artística, irá depender do que chamamos aqui no Clube de tripé do sucesso.

Assista esse vídeo e sinta o poder do incentivo dos pais, seja em todos os treinos ou concretizando os requisitos para a constante evolução:

O Alex, pai da Larissa, deixou todos emocionados por aqui ao gravar o vídeo “é só uma caixa”. Acontece que dentro da caixa estava o novo Patins Rye da Lari para as Aulas Profissionais com a Técnica Cátia Owicki.

“A Larissa começou a patinar no Clube há alguns meses, é uma patinadora da base que chama a atenção pelo seu empenho, ela chega e já fica ensaiando seus movimentos, vai nos campeonatos prestigiar as meninas da equipe e é dedicada como todos os seus colegas de turma. Seu sorriso mostra o quanto é apaixonada pela patinação e essas atitudes acabam representando a todos os admiradores desse esporte tão bonito. Os pais apoiam dando todo o suporte, eles fazem jus ao tripé do sucesso, sempre admirando o nosso trabalho e apoiando em todos os sentidos. Pais assim fazem seus filhos brilharem muito mais aqui dentro. É maravilhoso ter o apoio de pessoas do bem em prol de futuros atletas. Ainda teremos o orgulho de proporcionar muitas emoções em 2019 a essa família.”

Rodrigo Fuchs – Fundador Clube Owicki.

Qual a importância dos pais nas atividades esportivas dos filhos?

Sendo positiva, o patinador pode manter uma boa relação com o esporte para o resto da vida, humanizar, fazer amizades eternas, além de aprender sobre disciplina, ética, educação, concentração e tomada de decisões. Sendo negativa, pode chegar ao ponto de fazer com que a pessoa abandone o esporte e até mesmo a atividade física por atitudes próprias ou dos pais. Tudo dependerá da relação pais-filho ou professor-aluno: a forma como interagem, comunicam-se, estimulam a aprendizagem, reforçam os acertos, corrigem os erros, etc.

Em algumas ocasiões percebemos os pais influenciarem negativamente a criança de forma a cobrar desempenho, melhora rápida e muitas vezes resultados. Isso gera nos filhos alta tensão, cobrança negativa, falta de foco e muito nervosismo.

Agora, a pergunta que fica é: o que podemos fazer para influenciarmos de forma positiva, e ainda mais dentro de um contexto esportivo?

1. Pergunte: “Como foi o jogo?”, “Como jogou?”.

Estas são perguntas que demonstram que você se preocupa com seu filho. Quando seu filho voltar de uma competição EVITE perguntar: “Ganhou?”.

2. Foque nos pontos positivos do rendimento do seu filho e não no resultado!

Da mesma forma, reforce o esforço e não o resultado — sem usar castigos ou recompensas para a vitória e derrota.

3. Procure entender e apoiar o seu filho nas mais diversas dificuldades, não importa o que aconteça.

EVITE criticar os resultados do seu filho e EVITE tratar seu filho de maneira diferente quando perde alguma competição.

4. Reconheça os méritos do seu filho, mas mantenha os pés dele no chão sendo realista.

EVITE colocá-lo em um pedestal porque ganhou uma copa ou campeonato.

 

5. Estimule seu filho para que assuma a responsabilidade por suas vitórias e derrotas, enfrentando a realidade das competições.

EVITE dar desculpas como: “a pista estava ruim”. As situações são iguais para os adversários também.

6. Assista os treinos até o final, e mantenha o controle emocional.

Tanto em situações positivas como negativas mostrando ao seu filho que, independentemente do resultado, você se interessa e valoriza o esforço. EVITE sair de um treino antes de terminar ou fazer cara de desaprovação porque seu filho não está com um bom rendimento.

7. Compreenda que os atletas precisam de tranquilidade quando perdem.

Os comentários rigorosos devem ser feitos somente quando o patinador estiver mais calmo. EVITE obrigar seu filho a falar com você imediatamente após o final de uma apresentação.

8. Mantenha seu papel de pai/mãe.

EVITE dar instruções táticas e técnicas para o seu filho, principalmente quando estas vão contra a orientação da técnica.

9. Compare o progresso de seu filho com suas próprias habilidades e objetivos.

EVITE comparar com outros patinadores.

10. Compreenda que vocês devem ter outras áreas de interesse fora do esporte.

EVITE falar só do esporte com o seu filho.

11. Dê a seu filho responsabilidades. 

Que permitam, com o tempo, aumentar a sua autoconfiança e independência. EVITE fazer tudo para ele (como, por exemplo: organizar sua bolsa do patins, acessórios, lembrar seus horários de treino, etc.).

12. A expectativa. 

Você deve considerar a patinação como uma grande aliada para tornar seu filho uma pessoa melhor e um ótimo esportista.

A palavra que podemos utilizar para concluir e definir o papel dos pais é: apoio. Apoio incondicional. Isso não significa que você aceitará tudo o que ele fizer ou decidir, mas o apoiará, ao ensinar e conduzir de forma positiva os mais variados aspectos da vida, fortalecendo-o para enfrentar os desafios e formar definitivamente o seu caráter.

O nosso sincero agradecimento ao Alex, pai da Larissa, por apoiar o Clube compartilhando a emoção tão positiva da sua filha ao receber seu novo Patins Rye para Aulas Profissionais. Parabéns a toda a família, foi muito divertido assistir as reações dela nesse vídeo. Obrigado por permitirem exemplificar o que é bom neste post. Forte abraço!


Compartilhe